27 de mai de 2011

Cap 12: Garoto Alfa

Gisele, irmã de Doug, ofereceu-me carona como quem segue um ritual comum entre amigas de infância e aquilo só não me pareceu mais estranho que eu compactuar com a criação daquela cena irreal e aceitar. Seria algum encanto sobre mim que ela começava a exercer desde o primeiro instante? A mesma energia magnética que partia de seu irmão? Seus olhos vermelhos estavam claros quase rosa e sua roupa ainda cheirando a perfume das lojas da avenida Roier, onde só as garotas muito ricas poderiam encostar os narizes na vitrine. Melhor, elas nunca precisavam se sentir gordas nos cabines de roupa apertadas com um espelho que te dá 10 cm de cada lado. Elas experimentavam tudo em casa e devolviam o que não queriam depois. Eu já soubera da fama de seu mágico guarda-roupa pela boca das outras garotas recém discípulas que conheceram sua casa na festinha que deram durante a viagem de seus pais. Por que agora queria que eu a acompanhassem? Não achava realmente que eu pegaria seu lanche ou passaria respostas das provas pelo chip que eu nem tinha? Poderia eu, então, dizer logo que não tinha chip, que era humana e nunca poderia receber mutações genéticas? Não, claro que não! Arggghhh.

_Você vem?_ ela bateu no banco de couro já dentro da caminhonete no lugar do motorista e eu ainda estava virada, olhando para grade onde ela deixara um bilhete. Se não havia qualquer problema de estarmos pegando o carro do seu irmão emprestado, por que precisava avisar? Ou não seria mais prático avisá-lo por seu chip? Eu não entendi bem sobre essa tecnologia, quem sabe a marca deles não pegava com tanta distância? O que deu pra notar é que Gisele não sabia bem por onde começar e quase achei que me pediria pra pegar algum manual básico de primeira- pilotagem- no- carro- do- irmão no porta-luvas. Ia oferecer a minha pouca experiência guiando o carro do meu pai, mas ela superou a própria hesitação e deu partida. _Ele faz tudo, não é mesmo?_ programou o GPS e eu rezei pra que tivesse tão certa disso quanto a segurança de que sua blusa lilás combinava com o cinto azul e a bota marrom. Eu queria mesclar peças tão desconexas com uma assinatura perfeitamente fashion o meu look de todas as manhãs.

_O que vamos fazer na sua casa mesmo? _ perguntei, querendo um pouco de obviedade naquela prematura amizade de meia hora.

_Ora, esperar meu irmão. Eu não ia te deixar lá sozinha.

_Claro... _ completei, um pouco desconcertada com a agilidade com que juntou as duas peças. _ Quero dizer...err, claro que não quer me deixar sozinha. _

Teria a ver com Doug a idéia de me raptar pra sua casa? Não parecia loucura, desde a última vez que eu dera a entender que na minha não podíamos ficar na minha.

_Seu irmão pediu pra me trazer? _o pensamento incômodo se expressou mais rápido que minha vontade de recolher as palavras já lançadas no ar.

_Não. _ Gisele riu uma mistura de sarcasmo e diversão pelo que interpretei. Ela realmente devia pensar que eu não era nada a altura de Doug. Onde apertava o botão pra descer imediatamente?_ Chegamos._ disse, parecendo ler meu pensamento. Foi quando meus olhos pararam em uma belíssima casa em meio a mata e a visão daquele lugar lindo me impediu de pensar em qualquer outra coisa. O jardim florido com muitas cores e a grama perfeita como em estádios de futebol em final de campeonato mundial. Iríamos parar com aquela investigação sobre o motivo da minha vinda daquele ponto em diante, porque agora eu mesma gostaria de entrar!

Gisele passou na minha frente tão rapidamente, que eu só ouvira o som da porta do carro batendo atrás de nós. Eu estava estado de slow motion? Pisquei os olhos e umedeci os lábios entreabertos. Ela sorriu, parece que entendendo pelas minhas feições que ficara encantada com sua maravilhosa casa. Assim, fui atraída para segui-la. A graciosidade como andava me fazia me sentir uma pata gorda e feia. Seus cabelos loiros brilharam no sol ameno. Quando aproximou-se da porta de madeira grande e pesada, um pequeno ponto luminoso reconheceu sua íris e se abriu para uma ampla e bela sala em tons branco, com piso de madeira. O teto era muito alto de telhas, com vigas de madeira escura cortando os ambientes, mas com muitos pontos de luz iluminando tudo na medida certa. Era um choque entre uma arquitetura clássica de castelo com mobília ultra moderna. As paredes eram de vidro em alguns ambientes, mas com o acender da luz incidindo sobre a superfície, a transparência dava lugar a um enorme espelho que refletiu a nós duas no grande quarto em que entramos, duplicando o ângulo de profundidade.

_Essa hora o seu irmão já deve ter acabado a aula, deve estar vindo pra cá, acredito... _comentei, sem acrescentar que estava um pouco preocupada com o fato de estar íntima da sua casa sem seu convite.

Ela suspirou, parecendo não me ouvir, com o olhar perdido. Eu já estava acostumada quando as pessoas faziam aquela cara ao usar seus chips e tentava sempre parecer natural, mesmo sem poder imaginar como seria. Será que falava com Doug? Mas, ela não me revelou nada, apenas retirou a pulseira de couro e argolas de ouro do pulso, que parecia incomodá-la e deixou na cômoda branca.

_Vamos dar um mergulho?_sugeriu.

_Agora? _ dei-me conta de que se referia a uma piscina e logo pude ver o azul vindo de uma das amplas janelas atrás do seu ombro. Definitivamente dar de cara com Doug em trajes mínimos seria o abuso máximo, sem contar que eu não era como aquelas garotas que contava com as maravilhas genéticas de ter quase nenhum pêlo nos lugares certos. Precisava me depilar na quinta, coisa que adiei no sábado por conta de estudar para a prova de história. Aposto que roupa e biquínis não seriam problema dentro daqueles guarda-roupas de 12 portas que se escondiam atrás de nós. _Não estou com meu joelho bom ainda. Podemos fazer algo menos agitado?

_Ok._ colocou as mãos na cintura e suspirou. _Não sabia quais planos tinha pra mim, mas pareceu que eu estava dando tanto trabalho quanto uma criança arteira, quando eu só queria ir embora. Ao mesmo lado, minha outra parte queria ver Doug, apesar de ser totalmente contra as regras de humanos não são amigos de super humanos. _Você quer uma roupa pra vestir?

Eu me olhei pra ver se não estava enrolada em trapos, mas ali estava o uniforme de educação física. Seria tão aterrorizante algumas horas a mais com eles?! Não perguntei, ela se explicou:

_Roupa é o que não falta. _suspirou e disse para o armário: _ “abrir”. Este comprimiu as portas em formato de sanfona até a lateral e o que vi me fez quase tossir! Era uma arara gigantesca dourada repleta de todos os vestidos, blusas e calças mais fashion que eu já vira. Nenhuma garota tinha um armário daqueles. No chão, sapatos se enfileiravam em todos os tamanhos, formas e cores. _Não fui eu quem comprei.

Por que ela me contava aquelas coisas e me mostrava seu armário? Procurei no tom morno da sua voz uma justificativa. Estava com tédio por sua mãe ter comprado a última coleção de todas as lojas mais incríveis do shopping em seu número? O que importa? Eu a entendia por não conseguir ficar algumas horas a mais com roupa de educação física.

_Eu faço propaganda.

_Ãnh? _voltei a olhá-la, sentada na beirada da sua cama alta e larga, repleta de travesseiros e almofadas felpudas. Não lembrava de Gisele como garota propaganda de nenhuma campanha. Nem ela parecia exatamente bonita o suficiente de corpo...

_Não é como está pensando. _impediu-me de continuar o pensamento. _Eu sou uma Garota Alfa.

_ Garota Alfa? _repeti arrastadamente, na expectativa de que aquele alfa ganhasse algum sentido, como nas provas de matemática em que eu murmurava baixinho as variáveis da questão pra tentar lembrar das fórmulas.

_Sim, Garota Alfa. _caminhou até a arara graciosamente, pinçou um cabide com uma blusa bordada a mão, com rendas nas costas e um tecido acetinado, meu Deus, era seda pura?! _As empresas escolhem garotas que são influentes, as vestem completamente e exigem que elas influenciem as demais meninas de maneira “subliminar”. _revelou e estendeu pra mim o cabide. Isso queria dizer que eu tinha que guardar seu segredo? O que esperava? Que contasse os meus também? Ela ficaria muito decepcionada, se soubesse que eu tinha muito a esconder sobre minha fragilidade física e intelectual? _ Dá muito trabalho convencer as pessoas, estar “in” na sociedade, freqüentar todas as festas...

_Ter todos os caras que quiser? Que tarefa difíciiiil. _ ri e abracei a blusa contra minha cintura, enquanto encostava o cabide no queixo, me deparando no espelho.

_O garoto que eu quero não ligaria se eu estivesse vestida de roupa de educação física._ revelou. (Ela quis dizer “como se eu vestisse trapos”).

_Seu irmão é um garoto Alfa? _ perguntei e calculei que já havia gastado minha cota de perguntas imparciais que não quer dizer que estou dando em cima do seu irmão.

_Sim, toda minha família é. Mas, cada um com um tipo de público pra atingir.

_A companhia que “patrocina o luxo de vocês” também escolhe seus namorados?

_Você quer saber, as namoradas do Doug Alfa?

Eu prendi a respiração por um tempo, sentindo as bochechas queimarem.

_Algumas sim, mas Doug é um Alfa difícil de se controlar... Já trocou três vezes de empresa por conta de probleminhas de relacionamento com amigos e mulheres erradas.

_Hum. Mas... eles ficam... tipo fiscalizando a vida dele? Sabendo de tudo tudo...?

_Com-ple-ta-men-te tu-do. _falou pausadamente e eu senti vontade de correr. Vi no brilho dos seus olhos vermelhos, cor de sangue, e na voz maquiavélica, que tudo aquilo não me cheirava bem. Por que eu estava ali, ganhando roupas, sabendo de seus segredos? Onde estavam as câmeras me filmando naquele bastidor da vida inventada deles?

(continua...)

5 comentários:

Brina disse...

Ai ai...esse capítulo deu um gostinho de quero mais.........adorei...o q será q Gisele vai aprontar com a Aurora....fiquei cuirosaaaaaaaaaaaaaaaa D++++++++

Camila disse...

Gisele com ladinho do mal???
hahahaha!!!


adorei!!!

qro mais!

Gabi disse...

FINALMENTE!!!

espero que a gisele e a aurora sejam amigas mesmo...

gostinho de quero mais!!!

Li Mendi disse...

Oi,Meninas. Que bom que curtiram.

Aninha Barreto disse...

oiii!!! essa gisele é macabra!! da medo dela!!! por hoje chega de leitura!!! amanha volto pra saber mais! em breve acompanho a leitura do livro! rs!! saudades li!!

Ocorreu um erro neste gadget