5 de set de 2011

Cap 21: Eu não quero que vire uma Alfa (Doug)

Eu tinha tantos poderes além dos humanos e ainda queria mais um: poder apagar do chip da cabeça de algumas pessoas algumas coisas que se passaram, por exemplo, deletar da memória de Aurora a visita de Felícia. Mas, além da garota não ter chip, o que só me atrapalhava em muitas outras situações, ainda estava curiosa e já quase irritada por não entender o que queria aquela estranha com ela. Explicar seria uma hora ou outra um evento provável. Adiá-lo significava estragar toda a nossa tarde. Contar também não era garantia de que ela gostasse. Eu estava cogitando de mais que perdi a noção do tempo em que Aurora ficou me olhando de braços cruzados. Ela olhou para os lados, soltou o ar e sentou.

_Doug, por que não começa me explicando sem rodeios? _ela tinha a capacidade de prever meus pensamentos, isso sim era um super poder.

Sentei ao seu lado, mas continuei olhando pra frente, aquele assunto me fazia mal:

_Você já sabe que eu sou um Alfa, certo?

_Sim. E isso significa que deve ter que seguir alguns protocolos..._ ela me encarava com o rosto virado para o lado, mas eu só podia sentir isso por sua respiração perto no meu pescoço, porque meus olhos estavam concentrados em um ponto fixo.

_Felícia é a gerente de conta da minha família. Eu sei que pode soar muito estranho...

_Não estou fazendo julgamentos. _tocou na minha perna e a descarga de satisfação que me causou me fez olhá-la.

_Eles me observam o tempo inteiro e não daria pra te esconder...

_Esconder?

_Desculpe, não foi isso que quis dizer, não quero te esconder, mas...

_Ok, entendi. Continue. _ estava já irritada, droga.

_Eu simplesmente não posso evitar que saibam com quem estou saindo.

_E isso esta representando um problema pra você?

_Não, pra mim não!

_Pra eles, então?

_Sim, também não. _eu estava me atrapalhando nas próprias palavras, era melhor que pensasse melhor em quais usar. _Ouça. _virei todo o corpo pra ela, apoiando a perna dobrada sobre o sofá._ Eles precisam vender roupas, carros, móveis, coisas... Enfim, eu sou o garoto propaganda que tem uma imagem.

_Eu estou atrapalhando sua imagem?_ ela tentava ajudar a chegar no ponto, mas parecia me dificultar mais tornando tudo tão duro e cruel.

Os meus jogadores que ouviam toda a conversa e me observaram propuseram que eu revelasse os planos de Felícia. Só que não seria precipitado? Nós nem tínhamos algo sério para pedir uma coisa como aquelas... Enquanto eles me perturbavam com esse pedido, Aurora quis saber:

_O que eu teria que ter ou fazer pra não ser um problema pra Felícia, Doug?

_Eles querem que, se eu tiver que ficar com alguém, seja uma garota mais... descolada, com estilo, roupas de grife...

Aurora levantou-se e se afastou. Eu já sabia que estragaria tudo. Que raiva. Mas, não rebateu, parecia pensativa. Eu precisava lhe dar esse tempo.

_Eu não quero que você tenha que fazer nada, gosto de você como é. Por isso, não queria que Felícia te fizesse essa proposta. Não estou dizendo que é sem estilo, ok? Só to falando que eles querem um manequim ao meu lado.

_E se eu topasse?_considerou, virando-se pra mim.

Se Aurora topasse seria uma grande prova de que seus sentimentos por mim não eram nada superficiais.

_Se topasse, tenho medo que ficasse escrava das ordens e comandos de troca de produtos.

_Eu poderia ficar com você?

_Bom, não teria nenhum impeditivo.

_Eu não preciso virar uma Alfa, apenas não “atrapalhar sua imagem”, certo?

_Hum... posso dizer que “certo”.

_E o que falta pra isso?

_Bom, não sei... Eles podem te fornecer tudo... Mas, como vai explicar para os seus pais?

_Eu teria que pensar como. Mas, eu preciso de alguém que me ajude a me arrumar... uma personal style. _riu e sentou ao meu lado._E sua irmã, que tal?

Ela estava cogitando mesmo isso? Eu pressentia que não iria dar certo!

_Eu não quero que um dia você vire uma Alfa..._suspirei com pesar.

_É só pra te ajudar, ou melhor, não te atrapalhar. _tentou pôr assim.

_Você me surpreende a cada vez. _peguei uma de suas ondas vermelho fogo do cabelo e depois olhei seus lábios que se abriram em um sorriso. Beijei-a.

Um comentário:

Anônimo disse...

nossa, adoreiiii, quero mais,bjos.

Ocorreu um erro neste gadget