12 de set de 2011

Cap 26: Amanhã, Amanhã e Amanhã (Aurora)

Trilha do capítulo clique aqui


Eu tinha desistido do meu corpo, mas o meu melhor estava todo ao seu dispor: minha alma. E ela ia contigo e me deixando vazia quando partia. Só voltava a ser inteira quando você reluzia, acendendo todas as luzes do meu corpo foto sensível ao seu sorriso. Foi assim que meu pulmão voltou a se encher de ar quando te vi chegar de carro no gramado da sua casa.

Gisele pedira que esperasse ali, que iria despachar os cabeleireiros e maquiadores que passaram a tarde me retocando os defeitos que queriam esconder, cada traço, cada marca que o tempo fincaria como pneus escavando a lama na estrada e deixando seus vincos firmes. Mas, eu devolveria meu corpo se fosse possível voltar à loja que me fizera com erro. Por enquanto eu seria minha auto-propaganda falsa. Não me diga que isso não era ético ou certo, eu já não estava a ponto de pensar, só queria sentir ser visitada como flor que espera ser beijada pela abelha em busca de pólen no florecer. Eu era uma flor esplendida, o prelúdio da morte em contagem regressiva, que eles então levassem tudo, peguem de mim o perfume, porque é no miolo, no centro, e, não, na superfície que ele vai encontrar o que precisa para viver.

Segurei o pingente do colar novo que ganhara e continuei olhando pela janela, contando o momento em que Doug apareceria. A porta, então, se abriu e em silêncio, com poucos passos se aproximou e encostou-se à lateral da janela. Podia congelar seu rosto para quando ele me devolvesse o meu espírito porque não queria mais ficar com meu corpo velho e fraco? Eu sentarei ao fogo e lembrarei daquela imagem perfeita da sua pele branca e perfeita, seus olhos quentes de mar azul e salgado me convidando pra entrar. E a ponta dourada dos seus cabelos eu poderei recordar como toque de seda.

Sua mão escorregou sobre o beiral da janela até ficar sobre a minha e a aceitei querendo e rompendo, desaguando um rio de felicidade em seu oceano. Puxei depois o braço, o corpo, o peito e terminei ali em sua boca quente. Ele não falou nada do meu cabelo mais ruivo com mechas douradas e as tranças, nenhum comentário sobre as roupas, ou os sapatos. Doug era só um manequim cheio de viver a vida disfarçada de um catálogo.

_Eu preciso mesmo te levar pra casa?_ sussurrou, ainda roçando seu nariz no meu.

_Sim, precisa. _sorri e afastei o rosto. _Está cansado, não?

_Não... _encolheu os ombros. _Só não queria ter que te levar embora, se vou te buscar amanhã, não faz sentido. _brincou e eu balancei a cabeça para os lados.

_Você sempre volta romântico dos jogos de futebol?_ ri e abracei a sua cintura. _Está mais parecendo que voltou de um filme de drama! _ironizei.

_A vida é o próprio drama._agora sim sua voz era pesada e cansada.

_Não, baby... _cortei-o com delicadeza. _A vida é o que fazemos dela enquanto tentamos pateticamente fazer dar certo. Ela é uma corda que quando esticamos demais não dá música nenhuma e quando a deixamos solta, também não tem vida..._acariciei seu rosto. _Mas, quando a deixamos perfeitamente tensionada... _arrastei a ponta dos dedos por seu braço arrepiando-o. _Você pode sentir...

Doug sentiu vibrar dentro de si, pois agarrou-me loucamente em um beijo efusivo e a porta trancou-se. Três passos e nos derrubamos sobre a cama, não sabia quem tombou o outro primeiro. Eu tinha que levantar e ficar, eu tinha que parar e continuar. Os comandos estavam muito confusos na minha cabeça desordenada enquanto me beijava desesperadamente como se não restasse outra vez. Tomei fôlego pra oxigenar a cabeça.

_Precisamos ir... _escapei para o lado, rolei, cai no chão, levantei e senti que minha boca estava dolorida, o queixo arranhado e vermelho. Ri, andei de costas, ajeitei a blusa que subira e deixara a minha barriga de fora.

Ele contraiu seu maxilar como se controlasse sua fera e eu dei um sorriso de lado, tirando o cabelo do ombro para trás da orelha. Coloquei a mão na fechadura e fiz um sinal para abri-la para mim.

Balançou a cabeça para os lados e fez um sinal para dar um beijo na sua bochecha como chantagem. Semi cerrei os olhos e soltei o ar, mordendo a boca. Revirei os olhos e engatinhei sobre a cama, cuidando para não sujar o edredom com meu novo salto. Ele não se mexeu como eu pensei e deixou que eu o enquadrasse com minhas mãos apoiadas entre seus ombros. Beijei sua testa e olhei seus olhos azuis querendo me jogar nua neles, mas arrastei meus lábios sobre os seus, deixando o beijo em sua bochecha.

_Eu vou cobrar caro agora todos os seus pedidos._riu.

_Eu sou rica dessa moeda pra te pagar bem sempre... _apertei seu queixo.

Levantamos e eu o trouxe pelas escadas, onde descemos abraçados e encontramos Gisele sentada no sofá ao telefone. Piscou para nós. Eu deveria agradecê-la por tudo que estava fazendo por mim. Era muito importante que guardasse meu segredo.

_Ohh... Está frio! _esfreguei meus braços e corri para entrar em seu carro. _Vesti o casaco que trouxe comigo assim que bati a porta.

Doug ligou o aquecedor e dirigiu em direção a minha casa.

_Quando vai me apresentar aos seus pais? _ perguntou.

_Hum...E eu deveria dizer o quê?

_Como... o quê?_ franziu a testa quando parou na minha porta.

Segurei o botão da fechadura e dei de ombros:

_Você não decidiu o que é.

_Eu sou o que você quiser... _beijou-me.

_Quem pode ser qualquer coisa, não chega a ser alguém importante.

_E o que eu devo ser?

_Meu?

_Então, já tem o que dizer. _sentenciou.

_Você quer mesmo isso?_perguntei.

_Eu quero tudo, até a parte que as pessoas não querem, eu quero completamente.

Meus olhos se encheram e eu engoli em seco. Podia pedir pra que repetisse?

_Te vejo amanhã, amanhã e amanhã._ disse-lhe.

Saí e abri o portão de casa sorrindo.

3 comentários:

Li Mendi disse...

What day is it and in what month
This clock never seemed so alive
I can't keep up
And I can't back down
I've been losing so much time

'Cause it's you and me and all of the people
With nothing to do
Nothing to lose
And it's you and me and all of the people
And I don't know why
I can't keep my eyes off of you

All of the things that I want to say
Just aren't coming out right
I'm tripping in words
You got my head spinning
I don't know where to go from here

'Cause it's you and me and all of the people
With nothing to do
Nothing to prove
And it's you and me and all of the people
And I don't know why
I can't keep my eyes off of you

There's something about you now
I can't quite figure out
Everything she does is beautiful
Everything she does is right

'Cause it's you and me and all of the people
With nothing to do
Nothing to lose
And it's you and me and all of the people
And I don't know why
I can't keep my eyes off of...
You and me and all of the people
With nothing to do
Nothing to prove
And it's you and me and all of the people
And I don't know why
I can't keep my eyes off of you

What day is it
And in what month
This clock never seemed so alive
Você e Eu Lifehouse Revisar tradução
Que dia é hoje e de que mês?
O relógio nunca pareceu tão vivo
Eu não posso prosseguir
E eu não posso desistir
Tenho perdido tempo demais

Porque somos você e eu e todas as pessoas
Com nada para fazer
Nada para perder
E somos você e eu e todas as pessoas
E eu não sei por quê
Não consigo tirar meus olhos de você

Todas as coisas que quero dizer
Não estão saindo direito
Eu estou tropeçando nas palavras,
Você deixou minha mente girando
Eu não sei pra onde ir daqui

Porque somos você e eu e todas as pessoas
Com nada para fazer
Nada para provar
E somos você e eu e todas as pessoas
E eu não sei por quê
Não consigo tirar meus olhos de você

Existe algo sobre você agora
Que não consigo compreender completamente
Tudo o que ela faz é bonito
Tudo o que ela faz é certo

Porque somos você e eu e todas as pessoas
Com nada para fazer
Nada para perder
E somos você e eu e todas as pessoas
E eu não sei por quê
Não consigo tirar meus olhos de você
Porque somos você e eu e todas as pessoas
Com nada para fazer
Nada para provar
E somos você e eu e todas as pessoas
E eu não sei por quê
Não consigo tirar meus olhos de você

Que dia é
e em que mês
Este relógio nunca pareceu tão vivo!

http://www.vagalume.com.br/lifehouse/you-and-metraducao.html#ixzz1XnSsDM7w

Brina disse...

LI....
A cada dia e a cada capítulo vc está arrasando!!!Está d+...Parabéns!! Esse capítulo então...uau...fiquei sem fôlego tb!!!
Bjs

Anônimo disse...

Um sorriso. Foi o que viram no meu rosto assim que terminei de ler o capítulo. Está sublime. Beijos Li.

Verônica Medeiros

Ocorreu um erro neste gadget