15 de set de 2011

Cap 27: Néctar (Aurora)

Trilha do capítulo clique aqui

Saquei minha grande nécessaire na pia do banheiro do colégio e tirei meu novo e caríssimo arsenal de maquiagem. Suspirei, só era para ter ali nada além de escova e pasta de dentes e eu tinha mais maquiagem que uma atriz de teatro! Podia lembrar de todas as aulas extensas de Gisele que não cansava de me ensinar a forma de deixar o rosto perfeito.

Retoquei a sobrancelha com um lápis marrom pra deixar meus fios perfeitamente alinhados. Enquanto fazia uma careta para executar bem meu desenho, uma garota ao meu lado me observava.

Pensei por um segundo que se fosse Gisele teria que convencê-la sobre as maravilhas daqueles produtos. Eu já a vira atuando como garota propaganda e senti uma instantânea vontade de testar meus dotes por diversão:

_Legal isso aqui... _ falei pra mim mesma no espelho. _Olha a diferença de um olho pro outro?! _ mostrei. _Comprei na minha última viagem. Eu sou simplesmente louca por essa florzinha. _mostrei o ícone da marca e suspirei procurando a máscara de cílios. _Sabia que você tem um olho ótimo pra aproveitar essa parte da cavidade aqui? _pedi licença e mostrei-lhe onde. _ Devia levantar esse olhar! _ apontei o dedo como o melhor conselho da sua vida.

_Ãnh...acha? _ela se viu e senti ali o brilho do desejo pelo que lhe falei.

_Dá uma olhada... _entreguei-lhe um estojo de sombras. 

_Hum, vou procurar. _ saiu sorrindo e cruzou no caminho com Gisele, que entrou feito uma perseguidora sanguinária e era a mim que queria. Como bem me ensinou, fiz um ar de ignorância, continuando a me maquiar. Ainda estava me sentindo magicamente muito poderosa por ter jeito para influenciar as pessoas. Daria uma boa Alfa!

_Aurora, onde você está com a cabeça? Está bebendo água da privada?

_Querida, você está com muito blush, não acha que exagerou? Ôh, você está vermelha de raiva? _franzi a testa e senti que ela só não avançou porque era mais baixa e ultimamente andava intimidada com a forma como eu estava aprendendo rápido demais as lições sobre eleger meu pequeno mundo da escola para meu reinado. _O que foi, Gisele? _ ajeitei minha blusa nos ombros e mexi no cabelo. Hum, eu precisava arrumar aqueles cachos ali com uma pomada. Onde estava?! Aqui, neste potinho verde redondo.

_Aurora, o Bili não pode ir com a gente naquele passeio de barco. Simplesmente não pode! De onde tirou isso? Perdeu a razão?!_cruzou os braços e quase gritou, ecoando pelos ladrilhos do banheiro vazio.

_Está com medo? _ sorri de lado, desafiadoramente. _Medo de... _dei a volta e falei no seu ouvido como um sussurro. _... De ficar muito perto daquele gato...

_Não! Não! Não entende?! _perdeu o controle.

_Ok, se você não dá conta... _levantei as mãos para o ar, encolhi os ombros e fechei a minha nécessaire, devolvendo-a a minha bolsa de couro, pendurada no braço. _Querida, eu fiz minha parte, coloquei-o no seu caminho, agora ninguém me avisou que você não sabe o que fazer com aquele carinha gato e quente... _sai andando.

_Aurora, volte aqui! _correu atrás de mim em pânico. _Sabe bem com o que eu estou preocupada. _sussurrou, após agarrar meu braço e me puxar para um canto do corredor dos armários. 

_Gisele... _quebrei a cabeça para o lado e falei muito baixo. _Nós somos seres humanos, mas sabemos nos cuidar. Só vamos morrer mais cedo, mas sabemos como lidar com vocês. Por que não aproveita a chance que criei?

_Não quero que nada dê errado..._bateu o pé, fazendo um pequeno terremoto em todo seu corpo e ameaçou roer a unha impecavelmente feita. _... Tinha que ser na frente de todo mundo?! _encolhi os ombros.

_Se preocupe só com você. Já viu nossos vestidos?_tentei animá-la.

_Sim. _sorriu finalmente. _São perfeitos! _deu três pulinhos.

_Ah! Bom. _segurei seu braço entre o meu e a puxei para continuarmos caminhando pelo corredor, requebrando com nossos saltos e esbanjando sorrisos e desenvoltura.

_Eu sei como vou me vingar de você! _riu alto.

_Por que eu deveria ter medo? _mexi no cabelo e abri a porta do ginásio para ver o jogo de Doug.

_Só há 2 quartos reservados. Um para mim e  você e outro para o meu irmão.

_Eu disse que era pra fazer três reservas! _briguei.

_Desculpe, não tinha quartos vagos. _sentou-se na arquibancada. _Mas, eu podia resolver isso bem. Você dormia comigo e Doug ficaria com o outro quarto. Só que você mudou os planos sozinha.

_Mas, espera aí! O Bili pode dormir com Doug e está tudo resolvido!

_Aurora, eu lamento muito, querida. _olhou alguma coisa atrás de mim e eu poderia jurar que era seu irmão vindo, depois do apito de final da partida. _Eu vou ter que deixar a porta trancada, não me atrapalhe! Oh, desculpe, se você não dá conta daquele carinha que está vindo ali... _levantou-se e tentei acompanhá-la, mas ao me virar dei de frente com Doug suado e sem camisa.

Eu realmente tinha dúvida se podia lidar sozinha com todo aquele corpo perfeito. Ele tinha o corpo definido e o rosto angelical que me faria derreter como gelatina descongelando.

_Malas prontas para o nosso fim de semana? _quis saber e me beijou com a boca muito salgada.

_Prontíssima. Vai ser o melhor, prometo. _mordi o lábio.

_Eu vou tomar um banho e voltar para você me contar o que se passa nessa cabecinha.

Ri e sentei novamente na arquibancada com o coração aos pulos como a bola que quicava nos pés do garoto do outro lado da quadra fazendo embaixadinha. 

Doug precisava cumprir um compromisso Alfa com sua irmã. Havia um casal de amigos ricos que estavam dando uma festa de aniversário na praia da ilha particular de seus pais. Haveria muita gente importante e Doug tinha que chegar com seu barco e aparecer usando alguns produtos. Esse era o briefing do seu fim de semana, mas, para mim, a versão fora contada de uma forma muito mais pessoal e divertida como um momento particular para aproveitar juntinhos.

Olhei para o lado e o vi caminhando para mim com seus braços expostos pela camiseta apertada e o cabelo molhado. O perfume era tão bom quanto eu podia já prever quando me abraçou e me beijou com gosto de pasta de dente e a pele quente pelo banho recém tomado. Acariciei os fios úmidos da sua nuca por um longo tempo que não pude determinar.

_Eu vou ter que trabalhar um pouco, mas curtiremos muito juntos. _avisou.

_Não se preocupe. _dei um soquinho em sua barriga. _Eu te entendo.

(...)

O tempo que não era meu fora muito maior do que ele havia me prometido. Mas, eu ainda o tinha por perto, então, poderia dizer que não podia contar aqueles momentos em que me mantinha pendurada em seu braço sorrindo.

_...Pô, eu também adoro aquele motor. Já dirigi um desses... _ falou entusiasticamente para um homem ao meu lado, mas eu não prestava a atenção em suas palavras, olhei meu reflexo em um dos espelhos. O vestido branco justo ficara completamente perfeito com a tiara de couro trançado e pedrinhas na minha cabeça. 

Eu tinha que agradecer a Deus por minhas mãos estarem boas, nenhuma luva iria combinar com a minha roupa, pensei enquanto me desgrudava de Doug e aproveitava um tempo sozinha em torno da fogueira, sentada em um tronco de madeira.

Gisele passou rapidamente por mim pra avisar que estava pedindo pra ser seqüestrada por Bili. Ela sorriu, mas não consegui devolver o mesmo. Apenas continuei olhando o fogo, como se fizesse parte de mim aquela chama fervendo as brasas.

_Eu vou levar a chave, hen. _ainda advertiu.

Eu dei de ombros, dormiria em qualquer lugar. A areia estava quente próxima a chama. Lembrei dos meus pais longe e pensei se estava dando o melhor de mim pra ser o que queriam. A resposta deveria agradar mais a mim do que a eles a partir daqui, pois eu era agora a responsável pelos meus atos, não era mais uma garotinha.

Suspirei, aquela noite não estava realmente saindo como eu previa. Fechei os punhos e depois abri os dedos com a palma espalmada para o fogo. As labaredas subiram alto e por um segundo achei que provocara a chama com meu desejo. Olhei para os lados, mas ninguém reparou com um evento que não fosse provocado pelo tempo.

Olhei disfarçadamente para as palmas das minhas mãos. Estavam vermelhas, mas só poderia ser por conta de tê-la aquecido. Eu não seria capaz de incitar o fogo...

_Aurora?

_Ãnh? _assustei-me com a mão de Doug no meu ombro.

_Desculpe. _sentou-se ao meu lado. 

_E aí, eles vão comprar o barco? _minha voz saiu dura.

_Não, eu não tenho que fazê-los comprar...

_Desculpe...

_Eu entendo, acabei te deixando um pouco sozinha.

Toda noite era pouco no seu conceito?

_O que acha de irmos para o hotel? _ofereceu a mão e tive medo de oferecer a minha, será que podia machucá-lo se de repente acontecesse algum incidente... Balancei a cabeça para os lados. Que tolice, jamais machucaria Doug. Entrelacei meus dedos nos seus. _ Gisele me contou do arranjo nos quartos.

_Não acha que sua irmã é maluca? Ela é só uma garota pra dormir sozinha...!

_Eu impediria, se não fosse conveniente. E ela não está sozinha..._riu.

Paramos na porta do seu quarto que ficava em um chalé.

_Eu sei que te deixei algumas horas sozinha, mas posso te dar o dobro de atenção agora... _abriu a porta.

Entramos e acendemos as luzes. Havia flores, champanhe, algumas velas em um móvel. Será que pedira pra Felícia preparar tudo?

_Vai acontecer alguma festa aqui também? _perguntei meio mal humorada ainda.

_Não... _segurou minha cintura. _Quando vai me perdoar?

_A melhor pergunta não é quando, é como.

_Hum. Como? _ sorriu e facilmente me suspendeu pela cintura para cima de uma mesa de madeira rústica, como um passo de balé. _Eu posso tentar todos os métodos? _afastou o meu cabelo para trás do ombro e cravou os lábios ali, arrepiando meus braços. _Desculpe... _desceu as alças do vestido com a ponta dos dedos. _Desculpe..._ puxou minha nuca com sua mão forte e me beijou com muita vontade.

A cama nunca me pareceu tão macia e funda quando delicadamente fui depositada sobre ela com os braços para trás. Fechei os olhos e lembrei das labaredas da fogueira, eu era toda um tronco em chamas flamejando de amor. 

Acariciou o contorno do meu rosto e suas mãos entrelaçaram nas minhas enquanto descia os lábios para o beijo da abelha que suga todo o néctar.

3 comentários:

Brina disse...

Ei Li.....como vc para assim no meio?????? Isso vai ter q ficar por conta da nossa imaginação???? Ou vem mais coisas por aí??? Não nos deixe morrer de curiosidade...rsrsrs....
Bjs

Li Mendi disse...

Prometo que não vão se arrepender pelas próximas revelações.

Anônimo disse...

Adorei o capítulo, mas, você acordou de que horas para postá-lo? Eu adoro toda vez que venho ao blog e vejo que tem outro capítulo, mas eu prefiro que você esteja descansada.

Verônica Medeiros

Ocorreu um erro neste gadget