17 de set de 2011

Cap 30: A verdade que tentamos evitar (Doug)

Trilha do capítulo clique aqui

O jantar na casa de Aurora tivera a segunda versão. Meus pais preparam um almoço de domingo maravilhoso e a receberam com efusão e toda atenção. Rimos muito e Aurora encantou a minha mãe com sua beleza e inteligência. Levava consigo um pouco da admiração que as pessoas rendiam ao seu pai cientista. Depois da maravilhosa comida e longa conversa, meus pais se retiraram para um descanso vespertino e Gisele também se refugiara em seu quarto. Restamos nós dois na sala, sozinhos para nos curtir.

Aurora acariciou meu rosto com carinho e delicadeza, arrastando o dedo pelo contorno. Sorri e fiz o mesmo em seus lábios. Seus grandes olhos verdes olhavam para minha boca, mas resistiu ao nosso eminente beijo e os levantou para mim, engolindo em seco. Umedeceu os lábios e piscou algumas vezes em desconforto, sentia seu sangue correr mais rápido pelo toque da pele de seu pescoço.

_Doug, eu preciso te dizer uma coisa..._sua voz era aparentemente calma, mas a pulsação indicava ao contrário.

Meu coração disparou. Não! Ela estava pensando em contar toda a verdade logo agora, estava? Eu não queria saber, eu já estava lindando bem com isso. Eu precisava que continuasse a tentar me enganar. Não ia tentar bancar a certinha tão cedo, por favor!

_Por que não paramos de falar? Hum? _ beijei-a com vontade e segurei seu cabelo da nuca com a mão, acariciando-a com vigor, apertei sua cintura contra mim. Mas, não importava o quanto fosse longo o beijo, não poderia durar toda uma vida.

_Amor? _ Aurora abaixou a cabeça, colando sua testa na minha pra que nossos lábios desgrudassem. Ela nunca tinha me chamado daquela forma, mas saíra suavemente e me apertou o coração._Só precisamos conversar sobre uma coisa.

_Esse encontro com nossos pais já gastou bastante energia, podemos só ficar assim, não falar...? _beijei-a várias vezes.

_Doug, você tem que me ouvir..._ Aurora tentou se afastar, mas não deixei, tendo que usar um pouco de força e pressenti que a partir dali eu não teria como contê-la da vontade de se abrir para mim.

_Aurora, por que as mulheres têm que ter sempre esse momento de discussão de relação? _agora sim eu demonstrava irritação.

_Você nem ao menos sabe do que quero falar!_havia mágoa em sua voz.

_Ok, ok mas não agora! _ordenei.

_Por que não?_ irritou-se. _Não há ninguém aqui.

_Tem sim..._como era tão difícil escutar.

_Bom, seus pais estão no segundo andar no quarto e sua empregada, na cozinha. Ninguém pode nos escutar.

_Sim, podem. Eles... ãnh, tem ótima audição, somos super humanos, lembra?

Ela abaixou o rosto, olhou um pouco para o lado e depois para mim. Droga, por que diabos eu arremessara no ar a palavra chave.

_Esse é o problema, eu... não posso ouvir como vocês.

_Ok, tudo bem, não me importo._ri, desesperado. _Linda, por favor, pode parar de falar? _eu estava parecendo um louco.

_Doug, você... já sabe?_ desconfiou e franziu o cenho.

Olhei meu relógio. Eu só tinha dois minutos sobrando para ficar offline. Gastara todo o meu tempo no mês só com Aurora. Isso não seria suficiente para sua conversa particular.

_Aurora, não diga mais nenhuma palavra, ok? Nada. _mandei. _Eu não quero ter que tomar nenhuma atitude drástica.

_Você sabe ou não? _empurrou-me. _Sim ou não, Doug?

Se eu respondesse que sim, a calaria? Provavelmente não, tinha que agir rápido.

_Gisele, cadê você?!_chamei-a pelo chip, mas estava tão desesperado, que acabei falando em voz alta. _Gisele?!

_Eu te fiz uma pergunta! _Aurora segurou meu queixo para que a fitasse em lugar de procurar Gisele com os olhos pela sala.

_Sim. _soltei o ar.

_Então, você sabe que eu..._ela não terminou, pois tampei sua boca com a mão, cuidando pra que pudesse respirasse.

_Gisele, vem aqui agora, por favor, venha correndo! _implorei.

_Hum..._Aurora gemeu, mas a prendi contra a parede com a boca tampada entre as minhas mãos. Eu já havia me desconectado no instante em que a silenciara. O relógio agora retrocedia em contagem regressiva pra voltar a ficar online.

_Por favor, fica quietinha para eu não te machucar. Deus, eu não quero te machucar, Aurora! Psiuu...Quietinha, ok?

Seus olhos se encheram de lágrimas e correram pelos meus dedos e eu sentia como se fosse o sangue de um inocente em minhas mãos. O que eu estava fazendo?

_Gisele, vem aqui, por favor, se desconecte. Vem aqui. _pedi pela última vez.

Minha irmã apareceu correndo pelas escadas e nos encontrou na sala.

_Meus pais estão lá em cima, certo?_perguntei assim que a vi.

_Sim, estão... _viu-me amordaçando Aurora com a mão.

_[Você está off, certo?]_quis me certificar.

_[Doug, o que está acontecendo? Eu só tenho 20 minutos disponíveis.]

_[Eu só tenho 1 minuto e meio. O que fez com os seus?]_irritei-me por ter menos tempo de que previa.

_[Não interessa! Não é da sua conta, eu tenho vida própria!]

_[Gisele, eu pago os seus 20 minutos por qualquer coisa que queira, mas tire Aurora daqui. Leve-a embora.]

_[Eu não posso, Doug. Eu preciso desses 20 minutos.]

[_Por favor, eu te imploro. Salve-a! Meu tempo está acabando...]

Gisele engoliu em seco e senti que estava lhe pedindo algo muito precioso, mas ela era minha irmã e tinha me prometido me ajudar:

_Ok, pra onde a levo?_aceitou, por fim.

_Leve-a pra longe e explique tudo._autorizei e agora falei pelo chip._[Gisele, convença-a de todo jeito a ficar longe de mim!]

_Ok, ok. Vou com seu carro.

Meu tempo só me dava 20 segundos. Acionei o som da casa bem alto, que explodiram nas caixas de som por toda parte e a soltei. Aurora estava tonta, mas nada que dissesse poderia ser ouvido. Esperei que entendesse o movimento dos meus lábios:

_Desculpe, desculpe, mas vá embora, agora! _apontei pra porta.

_Você é uma idiota!_Gisele agarrou seu braço e a puxou pela roupa._Vamos correr, meus pais estão vindo.

As duas saíram pela porta e eu desliguei o som. Neste instante, meus pais já estavam nas escadas, assustados.

_Desculpe pelo susto. Essa empregada idiota deve ter ficado escutando enquanto arrumava a casa e deixou no alto.

Os dois se entreolharam aliviados.

_Humanos idiotas. _meu pai resmungou._Onde estão as meninas?

_Ah, saíram pra fazer compras e eu tenho um evento pra ir. Licença. _caminhei para o escritório e os dois voltaram para o quarto.

Bati a porta atrás de mim e senti que meu coração ia sair pela boca. Sentei no sofá e conectei-me a Gisele. Queria saber como estavam. Pedi pra escutá-las, sem que Aurora soubesse.

_Você disse que não ia contar nada! _Gi brigava com ela no momento em que interceptei a escuta.

_Eu não disse até quando!_defendeu-se.

_Sua burra, acha que teria uma hora certa pra revelar que está com um super humano?

Eu não teria sido tão duro quanto Gisele. Peguei um copo de bebida na bancada com a mão trêmula.

_Por que ele me machucou?_Aurora estava em choque.

Oh, droga, eu não queria tê-la machucado.

_Ele devia ter te estapeado, sua idiota! Por que foi abrir a boca!? Eu vou te bater quando sair desse carro! _Gisele parecia descontrolada também. _Quer botar tudo a perder? Tudo?

_Eu não entendo, se ele já sabia que eu era uma humana, por que aconteceu tudo aquilo...? Você não devia ter contado, eu queria ter dito...

_Isso não muda nada! Você continua sendo uma humana! E eu não tenho mais tempo, só me resta 15 minutos.

_Que tempo é esse de que estão falando? Parece uma bomba relógio.

_E é! Vou parar aqui no acostamento e lhe contar tudo o que puder. Mas, prometa, jure que não vai falar mais nenhuma palavra quando eu disser que o tempo acabou?

_Não me resta mais nada.

_Aurora, o Doug é um Alfa, ok?

_Eu já sabia disso.

_Mas, os Alfas não apenas fazem uma propaganda de experiência das marcas. Eles não são só influenciadores. Há um jogo, um grande jogo que envolve muito dinheiro. Nossas vidas são um tabuleiro online e você não podia estar nessa partida.

_Como assim? De que jogo está falando? Parece quem são avatares!

_Nossas vidas são influenciadas por jogadores online que compram o direito de opinar e interferir em nossas ações. Eles vêem tudo o que fazemos, dizemos e se metem o tempo inteiro. Depois nos acostumamos...

_Então, todo mundo viu Doug e eu juntos...? Não, isso não pode ser verdade!

_Não todo tempo. Não todo mundo, apenas os jogadores que pagam caro para terem seus avatares. Temos uma cota de horas mensais pra gastarmos desconectados. Seria nossa folga. Por isso que Doug estava com pouco tempo, gastou tudo com você.

_Os jogadores não sabem sobre mim?

_Sim, sabem. O tempo offline é muito curto. Doug só usou pra quando vocês estavam em momentos mais íntimos, certamente. Todo o resto eles influenciaram. A roupa que você vestiu naquele dia em que jantaram juntos foi escolhida por eles. Tudo, presentes, lugares que foram, tudo foi inventado por outros.

_Então, Doug só estava jogando comigo?

_Não! O que importa a roupa que escolham pra você? Era o Doug que estava lá e ele realmente gosta de você, independente de outras pessoas estarem se divertindo e ganhando dinheiro com bônus a cada vez que ele te fazia feliz.

_Eu entrei para aumentar a audiência de vocês?

_Não “para”, mas conseguiu de uma forma monstruosa. Todos querem saber de você.

_Vocês impediram que eu dissesse que eu era humana porque todos teriam ouvido?

_Isso. Aurora, prometa que não vai repetir isso nunca mais, para o nosso bem. Não estrague a minha vida, nem a de Doug. Neste exato momento, ele deve estar recebendo uma bronca da nossa gerente. Torça pra que não o expulsem dos Alfas. Aurora, eu sei que não quer isso, mas irá destruir nossa família.

_Nada teria acontecido se eu não tivesse tentado contar a verdade... _concluiu. _...Estaríamos juntos..._imaginou. _...Mas, eu não conseguiria mais viver sem a verdade. Verdade? Quase tudo era mentira. Não era?

_Quando estava nos braços dele, quando se amaram, era uma mentira?

_Não.

_A verdade é só o que sentimos, não é um ponto de vista. Aurora, o tempo está acabando e eu tenho que te deixar em algum lugar, enquanto estou no meu blackout.

_Você gastou todo o seu tempo...

_Eu faria qualquer coisa por meu irmão e minha família. Você também faria?

_Acho que sim.

_Aurora, por favor, se afaste, fique longe de nós. Não é porque não gostamos de você, é que simplesmente não podemos mais ficar perto de você.

_Eu queria ouvir isso do seu irmão.

_Ele só terá esse tempo pra falar disso mês que vem. Enquanto isso, simplesmente não diga nada, nenhuma palavra, nem olhe pra ele.

_E os jogadores?

_Que tem? Doug inventará uma estória.

_Dirá que eu era só uma diversão?

_Seria uma ótima desculpa.

_Eu sinto vontade de vomitar.

_Vou te deixar em casa, por favor, não vamos falar mais nada, ok? Acabou o tempo, estarei conectada em segundos.

Senti minha garganta apertar como se fechasse com um nó cego. Puxei o ar, mas era dor, uma dor física da extração crua e a sangue frio do meu coração sendo arrancado. As lágrimas pingaram. E eu não podia pronunciar nenhuma palavra.

Eu queria estar com Aurora para ampará-la, levá-la no colo e dizer-lhe que nada fora mentira, que nunca havia me divertido tanto e que me sentia muito vivo como nunca.

Gisele abriu a porta algum tempo depois e eu já estava no terceiro copo.

_Eu sei que está triste porque Aurora te deixou, Doug, mas sabe como é... Essas garotas não querem nada sério... _sentou-se ao meu lado, interpretando uma versão falsa da história para nossos jogadores. Essa era a pior infração que poderíamos cometer, mas não havia saída, era preciso justificar a ausência de Aurora a partir de em diante.

Gisele segurou minha mão e não dissemos palavra nenhuma, não podíamos. Isso era real? Eu tinha perdido a garota que mais gostei até hoje e, droga, não me importava que fosse humana!

Subi para o meu quarto e encontrei com a minha mãe no corredor.

_Você está com os olhos vermelhos, Doug. O que houve?

_Nada, estava com um cisco..._bati a porta do quarto.

Caí na cama sentindo uma culpa que me mortificava. Eu só queria largar tudo, correr até Aurora e dizer que tudo bem por ser mais frágil, a protegeria e cuidaria por todos os anos que vivesse e ninguém lhe agrediria. Por ironia eu justamente a deixava ainda mais desamparada que antes.

2 comentários:

Li Mendi disse...

Bleeding Love Boyce Avenue
Closed off from love
I didn't need the pain
Once or twice was enough
And it was all in vain
Time starts to pass
Before you know it you're frozen

But something happened
For the very first time with you
My heart melts into the ground
Found something true
And everyone's looking round
Thinking I'm going crazy

[Chorus]
But I don't care what they say
I'm in love with you
They try to pull me away
But they don't know the truth
My heart's crippled by the vein
That I keep on closing
You cut me open and I

Keep bleeding
Keep, keep bleeding love
I keep bleeding
I keep, keep bleeding love
Keep bleeding
Keep, keep bleeding love
You cut me open

Trying hard not to hear
But they talk so loud
Their piercing sounds fill my ears
Try to fill me with doubt
Yet I know that the goal
Is to keep me from falling

But nothings greater
Than the rush that comes with your embrace
And in this world of loneliness
I see your face
Yet everyone around me
Thinks that I'm going crazy, maybe, maybe

[Chorus]

And it's draining all of me
Oh they find it hard to believe
I'll be wearing these scars
For everyone to see

[Chorus]
Bleeding Love (tradução) Boyce Avenue Revisar tradução
Sangrando de Amor

Me fechei pro amor
Eu não preciso sentir dor
Uma ou duas vezes já foram o suficiente
Mesmo assim foram em vão
O tempo começou a passar
Antes de você perceber que estava esfriando

Mas algo aconteceu
Na primeira vez que eu estive com você
Meu coração se derreteu pelo chão
Encontrando algo real
Enquanto todos me olhavam
E pensavam que eu estava ficando louca

[Refrão]
Eu não ligo pro que eles dizem
Estou mesmo apaixonada por você
Estão tentando me manter afastada
Mas eles não sabem da verdade
Meu coração esta trancado por uma veia
Que eu mantenho trancada
E você vem me corta e eu

Continuo sangrando
Continuo, continuo sangrando de amor
Continuo sangrando
Continuo, continuo sangrando de amor
Continuo sangrando
Continuo, continuo sangrando de amor
Você vem me corta e eu...

Eu tento mesmo não ouvir-los
Mas eles falam tão alto
Que as vozes estão passando em meus ouvidos
Estão me confundindo
Eu sei, que o motivo é me derrubar

Mais nada é maior
Do que essa pressa de te abraçar
Nesse mundo de solidão
Ainda vejo o seu rosto
Todo mundo que me olha e pensa
Que eu estou enlouquecendo
Talvez, talvez

[Refrão]

É tudo "drenagem" minha
Mas eles acham difícil de entender
Então decidi vestir as cicatrizes
Pra que todos vejam

[Refrão]

http://www.vagalume.com.br/boyce-avenue/bleeding-love-traducao.html#ixzz1YGG2t5S8

Brina disse...

Espero q essa separação ñ dure muito....justo agora q eles estavam tão bem.....Espero q o amor entre eles seja muito mais forte!
Bjs!

Ocorreu um erro neste gadget